Manifesto pela Eliminação da Hepatite C assinado dia 12, em Bruxelas.

O Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, o eurodeputado Carlos Zorrinho, o deputado à Assembleia da República, Ricardo Baptista Leite, o Presidente do Grupo de Ativistas em Tratamentos, Luís Mendão, a Diretora do Programa Nacional para as Hepatites Virais, Isabel Aldir, entre outros, reuniram-se esta quarta-feira, em Bruxelas, para anunciar a sua intenção de trabalhar em conjunto com o objetivo de eliminar o vírus da hepatite C em Portugal até 2030, através da assinatura do «Manifesto pela Eliminação da Hepatite C».

O encontro, presidido pelo eurodeputado Carlos Zorrinho, decorreu na sequência da primeira Cimeira Europeia dedicada à eliminação da hepatite C na Europa, que decorreu em Bruxelas, em fevereiro de 2016, e na qual foi apresentado o Manifesto para a Eliminação da Hepatite C, no contexto europeu, até 2030.

Na ocasião, o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde sublinhou que «Portugal teve extraordinários progressos na abordagem à hepatite C nos últimos anos. O Governo português está profundamente empenhado em acabar com a epidemia da hepatite C até 2030 e acreditamos que iremos atingir esse objetivo antes dessa data».

Para cumprir o objetivo traçado, foi lançada, no ano em curso, a primeira Estratégia Nacional para as Hepatites Virais em Portugal. Baseia-se na universalidade (acesso ao tratamento de todas as pessoas com hepatite C que para tal sejam elegíveis), na equidade (harmonização do tratamento a nível nacional) e na qualidade (o tratamento mais adequado segundo a evidência cientifica), mas também em prevenção, informação, conhecimento e rastreios dirigidos.

Adicionalmente, pela primeira vez, foi dada atenção especial aos grupos vulneráveis: reclusos, trabalhadores do sexo, sem-abrigo e imigrantes, que têm tido dificuldade no acesso ao tratamento. De agora em diante, esta realidade irá mudar: «juntos conseguiremos atingir os objetivos de 2030!»

Os signatários do Manifesto pela Eliminação da Hepatite C comprometem-se a:

  • Tornar a hepatite C e sua eliminação na Europa uma prioridade clara de saúde pública a ser perseguida a todos os níveis;
  • Assegurar que doentes, grupos da sociedade civil e outras partes interessadas sejam diretamente envolvidas no desenvolvimento e implementação de estratégias de eliminação de hepatite C;
  • Dar especial atenção à ligação entre a hepatite C e a marginalização social;
  • Introduzir uma Semana Europeia de Consciência sobre a Hepatite;

Sobre a Eliminação

  • A eliminação destina-se a reduzir a zero a incidência de uma doença específica, numa área geográfica definida, em resultado de esforços deliberados;
  • A eliminação do vírus da hepatite C (VHC) foi tornada possível por avanços terapêuticos recentes, que tornaram o vírus curável na maioria dos casos – as taxas de cura evoluíram de 6 % em 1991 (primeiro tratamento com interferão aprovado para VHC) para mais de 90 % em 2014 (antivirais de ação direta introduzidos);
  • É necessário desenvolver abordagens e estratégias holísticas para melhorar o conhecimento geral, aumentar os testes para pessoas em risco e encaminhar as pessoas infetadas para cuidados de saúde específicos.

Para saber mais, consulte:

Parlamento Europeu > Cimeira Europeia dedicada à eliminação da hepatite C na Europa (em inglês)

Voltar