Hospital de Viana do Castelo investe 3,2 M€.

A Unidade de Saúde do Alto Minho (ULSAM) vai investir, em dois anos, mais de 3,2 milhões de euros (M€) no Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, para «obter ganhos de eficiência energética», informou aquela estrutura.

Em resposta escrita a um pedido de esclarecimento enviado pela agência Lusa, na sequência da aprovação da candidatura daquele investimento ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), a ULSAM estimou uma poupança, em mais de 222.282 euros, com a opção pela eficiência energética prevista no projeto.

O projeto «centra-se no sistema AAVC (aquecimento e ventilação) nas áreas de internamento, comuns e técnicas e na iluminação, com tecnologia LED (Light Emitting Diode), extensível a toda a área interior e exterior do Hospital de Santa Luzia».

Segundo a ULSAM, as ações previstas no projeto agora aprovado pelo POSEUR terão início «no segundo semestre de 2018 e conclusão em dezembro de 2019».

«É um caminho a percorrer de forma gradual e planeada, tornando o hospital amigo do ambiente, dos trabalhadores e dos utentes que a ele recorrem», afirmou o Presidente do Conselho de Administração da ULSAM, Franklim Ramos.

«As fontes energéticas de primeira geração devem ser uma opção de todas as organizações, no sentido de consolidarmos a sustentabilidade do ambiente, consequentemente das populações que o habitam, cabendo aos seus dirigentes a promoção das boas práticas», acrescentou.

A ULSAM é constituída por dois hospitais, o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Hospital Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima. Além disso, integra 13 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, servindo uma população residente superior a 250 mil pessoas. No total, a ULSAM emprega mais de 2.500 profissionais, entre eles, 501 médicos e 892 enfermeiros.

Para saber mais, consulte:

Voltar