Infarmed apresenta balanço das atividades, no CCB.

O Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde aprovou, nos últimos dois anos, 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira, 18 de junho, na apresentação do balanço de 2017 e das áreas de desenvolvimento até 2019, que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB).

De acordo com dados do Infarmed, também em abril o mercado dos genéricos chegou a 48,4% do mercado total, o valor mais alto já atingido. A utilização de medicamentos biossimilares (medicamento biológico semelhante a outro) também aumentou.

Na sua intervenção, o Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, sublinhou a aposta nos medicamentos inovadores e referiu que, na área da prevenção e luta contra o VIH, Portugal se encontra «muito bem posicionado em termos internacionais», acrescentando ainda que o Governo pretende alargar às farmácias o fornecimento de outros medicamentos até agora apenas disponíveis nas farmácias hospitalares, seguindo o exemplo do que aconteceu com os medicamentos para o VIH.

A Presidente do instituto, Maria do Céu Machado, abordou a evolução de diversas áreas durante o ano anterior, assim como alguns dados dos primeiros meses do ano, dos quais se destacam:

  •  Novo valor máximo (48,4%) na utilização de genéricos em abril (mercado total);
  •  Aumento da utilização de medicamentos biossimilares;
  •  Avaliação de 150 processos de comparticipação/avaliação prévia.

Em destaque, esteve também a apresentação do desenvolvimento, para o biénio 2018-2019, de algumas áreas nevrálgicas do Infarmed:

  • A área de expansão internacional, através da Pharma Portugal, uma parceria desenvolvida entre as empresas associadas da APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, o Infarmed e a AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, com o objetivo de promover a exportação e internacionalização das empresas farmacêuticas que produzam e exportem medicamentos e outros produtos de saúde a partir de Portugal;
  • Na área da avaliação, a redistribuição de processos de medicamentos da Agência Inglesa no âmbito do Brexit, na qual Portugal está no TOP 5, reforçando a sua posição no sistema europeu de avaliação de medicamentos;
  • E, ainda, o desafio de gerar e disponibilizar mais e melhor informação sobre medicamentos e produtos de saúde a todos os intervenientes no mercado (profissionais de saúde e cidadãos) no que diz respeito aos sistemas de informação e o projeto Horizon Scanning – mapa que pretende priorizar e agilizar a entrada no mercado de novas tecnologias de saúde.

Para saber mais, consulte:

Infarmed > www.infarmed.pt

 

 

 

Voltar