DGS confirma 26 casos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Entre os dias 8 novembro e 4 de dezembro de 2018, foram confirmados laboratorialmente 26 casos de sarampo, pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, na Região de Lisboa e Vale do Tejo. Tiveram resultado negativo 25 casos.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), entre os casos confirmados, 22 são adultos e quatro são crianças.

Estes casos configuram a existência de dois surtos distintos, um surto em Cascais com 19 casos confirmados, com origem num caso importado da Ucrânia, e outro surto em Oeiras com cinco casos confirmados, com origem num caso importado da República Checa.

Segundo a DGS, neste período foram ainda confirmados dois casos isolados, sem ligação epidemiológica conhecida aos referidos surtos e que estão a ser investigados.

A DGS explica que o vírus do sarampo é transmitido por contacto direto com as gotículas infecciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infetada tosse ou espirra, e os doentes são considerados contagiosos desde quatro dias antes até quatro dias depois do aparecimento da erupção cutânea.

Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois de a pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal.

A Direção-Geral da Saúde e a rede de Autoridades de Saúde, em colaboração com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e com os profissionais de saúde, estão a acompanhar a evolução da situação de acordo com o previsto no Programa Nacional da Eliminação do Sarampo.

A vacinação continua a ser a melhor forma de evitar o sarampo. Assim, a Direção-Geral da Saúde recomenda:

  • Verifique o seu boletim de vacinas;
    • Se necessário, vacine-se e vacine os seus.
  • Se esteve em contacto com um caso suspeito de sarampo e tem dúvidas, ligue para o SNS 24 – 808 24 24 24;
  • Se tem sintomas sugestivos de sarampo, não se desloque e evite o contacto com outras pessoas. Ligue para o SNS 24 – 808 24 24 24.

 

Recorda-se que o sarampo é uma das doenças infeciosas mais contagiosas, podendo provocar doença grave, principalmente em pessoas não vacinadas. Em pessoas vacinadas, a doença pode, eventualmente, surgir com um quadro clínico mais ligeiro e menos contagioso. As pessoas que já tiveram sarampo estão imunizadas e não voltarão a ter a doença.

Para saber mais, consulte:

Voltar